Desempregados

O que fazer quando os boletos chegam e o dinheiro não?

Estude na Bíblia:

O Segredo da Prosperidade

Mais de 13 milhões de brasileiros estão desempregados.

Sem opção, a saída é ser criativo para enfrentar a crise. Leia mais.

Receber um bom salário ao final do mês é uma sensação maravilhosa. Ter um emprego é muito bom, ainda mais quando fazemos o que amamos. Algumas pessoas estudam anos, especializam-se e conquistam o tão sonhado diploma para serem chamados de profissionais, doutores ou mestres. Mas a verdade é que ter um emprego está cada vez mais difícil, não importa a área de atuação. Cerca de 13,4 milhões de trabalhadores estão desempregados no Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Muitos desses desempregados têm família para sustentar, remédios para comprar, aluguel para pagar e uma porção de coisas que essenciais para sobreviver. E agora, o que fazer?

Sabe aquele amigo(a) que está fazendo um “bico” como vendedor(a) de produtos de beleza ou prestando algum serviço de manutenção? Apoie! Essa pode ser a solução para uma crise financeira. Saiba mais no vídeo a seguir:

Um trabalhador desempregado tem que dar seu jeito para pagar as contas. Só no mês de junho de 2018, 13% dos brasileiros usaram suas economias guardadas na poupança para pagar as contas do dia a dia, de acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas. Um dinheiro depositado na poupança é para ser usado em educação ou investimentos, mas hoje em dia está salvando muitas famílias da crise.

Boa parte dos desempregados estão desistindo de procurar vagas em empresas formais. Prova disso são os trabalhos informais que se tornaram tão comuns. Hoje, existem serviços cada vez mais específicos, como cuidadores de cachorro, vendedores ambulantes e prestadores de serviços. Até 2021, as vendas pela internet devem dobrar, segundo o Google.

Quiz

Você está:

Se você está trabalhando, como está se sentindo?

Se fosse possível, você trocaria de profissão?

Se você está desempregado, como está se sentindo?

Se você está desempregado, como está fazendo para pagar as contas?

Pelo jeito as coisas não andam bem para você. Talvez pelo desemprego, talvez pela escolha profissional. Infelizmente, tudo o que fazemos está relacionado a vida financeira e boa parte dos problemas confinam nessa área da vida. Podemos lhe ajudar a compreender tudo acerca do verdadeiro segredo da prosperidade, que vai muito além do dinheiro. Saiba Mais

Pelo jeito as coisas não andam bem para você. Talvez pelo desemprego, talvez pela escolha profissional. Infelizmente, tudo o que fazemos está relacionado a vida financeira e boa parte dos problemas confinam nessa área da vida. Podemos lhe ajudar a compreender tudo acerca do verdadeiro segredo da prosperidade, que vai muito além do dinheiro. Saiba Mais

Pelo jeito as coisas não andam bem para você. Talvez pelo desemprego, talvez pela escolha profissional. Infelizmente, tudo o que fazemos está relacionado a vida financeira e boa parte dos problemas confinam nessa área da vida. Podemos lhe ajudar a compreender tudo acerca do verdadeiro segredo da prosperidade, que vai muito além do dinheiro. Saiba Mais

E OS MEUS DIREITOS?

A grande questão em torno dos trabalhos informais é a ausência de leis trabalhistas e dos direitos básicos que a maioria das empresas oferece. É muito difícil um autônomo se preocupar com a Previdência Social, com um bom plano de saúde e com um seguro de vida ao passar por uma crise financeira. Mas há os que decidem levar a sério o trabalho informal. Esse tipo de trabalhador viabiliza todos os seus direitos sozinho e se torna seu próprio chefe.

Entrevista com especialista

Viviane Rodrigues Viana

Psicóloga Clínica

Ficar desempregado é melhor do que sofrer no trabalho?

VRV: Quando estamos num ambiente de trabalho ruim, nosso desempenho ao executar uma tarefa simples fica comprometido. Isso significa que a empresa vai perder dinheiro. Além disso, a parte emocional do funcionário fica muito comprometida. Isto é, a pessoa tende a ficar muito ansiosa, triste, insatisfeita, pode ter problemas com insônia, sobrepeso, depressão. Passamos pelo menos 40 horas por semana no trabalho. Às vezes, ficamos muito mais tempo no trabalho do que com nossa família. Portanto, fazer algo que se ama e estar num lugar bom é muito importante para o bem-estar emocional.

O FIM DOS EMPREGOS FORMAIS

Tem gente que prefere pedir as contas, mesmo com a crise, do que continuar fazendo algo que não gosta ou do que trabalhar num lugar ruim. Isso é muito mais comum do que se imagina, principalmente entre os jovens. Mas sair do emprego por questões emocionais ou relacionais expande os horizontes e possibilita um recomeço.

Neste sentido, é muito comum transformar hobbies em profissão. A aposentada Lourdes pereira gosta tanto de cozinhar para os filhos, netos e genros que decidiu vender marmitinhas na internet. Ela faz o que gosta e ainda ganha dinheiro. No caso de Lourdes e de muitas outras pessoas, a solução criativa para o desemprego está no mundo digital.

Ter uma profissão e buscar aperfeiçoamento profissional são fundamentais na hora de procurar um trabalho formal.  Um casal de Artur Nogueira, no interior de São Paulo, resolveu doar um pouco de conhecimento e ensinar outras pessoas sua profissão. Saiba mais no vídeo a seguir:

DOUTORES DE NADA

Diploma também não garante emprego. Segundo dados do Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp), um a cada três alunos que terminam o ensino superior não consegue arrumar trabalho. O Centro de Gestão e Estudo Estratégico (CGEE) aponta que 30,7% dos doutores brasileiros também estão desempregados. A justificativa do governo é bem simples: o país está formando muito mais pessoas do que é capaz de empregar.

Entrevista com especialista

Mario Jorge Mendonça

Economista

Afinal, de quem é a culpa do desemprego no Brasil?

MJM: Primeiro, é importante entender que se há pessoas com dificuldade em arrumar trabalho, é porque faltam vagas no mercado. O desemprego também está atrelado à falta de educação, pois o mercado exige profissionais mais capacitados, mais atualizados e empresários capazes de conduzir seus negócios por mais de dois anos. O modelo econômico brasileiro também contribui para o desemprego. As empresas não conseguem se manter com os juros e impostos tão altos. Pessoas são demitidas e não há vagas de trabalho no mercado. Na verdade, é uma bola de neve. A resposta para esta crise, talvez, esteja numa completa mudança do sistema político e econômico do Brasil. Neste sentido, fica claro que a culpa é do governo brasileiro. 

Muitos desempregados se apoiam em soluções desesperadas para sair do vermelho. A solução para o desemprego, é um emprego. Mas até essa necessidade ser suprida, é preciso equilíbrio emocional e ajuda para compreender quais são as melhores alternativas. Saiba Mais