Vivendo no Futuro

Quem sofre de ansiedade vive no futuro, antecipa preocupações e se atormenta com pequenos problemas.

Estude na Bíblia:

A volta de Cristo

Segundo a OMS, 33% da população mundial sofre de ansiedade. É por isso que os especialistas consideram o transtorno o mal do século.

A ansiedade está inviabilizando a vida social e profissional de milhões de pessoas. Para piorar, grande parte das vítimas nem sabe que tem a doença.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com mais ansiosos no mundo. Em 2015, 18,6 milhões de brasileiros sofriam com algum transtorno de ansiedade.  Engana-se quem pensa que esta doença atinge só os mais vulneráveis. Os números e a própria ciência provam que a ansiedade afeta pessoas de todas as idades, classes sociais e níveis intelectuais distintos.

Os transtornos mentais também afetam a economia mundial. A cada ano, há uma perda econômica de US$ 1 trilhão nos cofres públicos e privados como consequência da ansiedade.

Mas por que a ansiedade é considerada uma doença? Afinal, todos os indivíduos apresentam níveis de ansiedade que são considerados pelos médicos como “normais”. Algumas pessoas ficam tão ansiosas que chegam a sentir sintomas de gripe, como febre, dor de garganta ou dores de cabeça. Isso sim é uma manifestação grave de ansiedade no corpo.

Doença, na essência do termo, é tudo aquilo que causa alteração biológica no estado de saúde. Isto é, as pressões e a rotina cotidiana é que transformam a ansiedade numa doença que pode incapacitar o indivíduo de realizar atividades simples, como dormir. Pessoas ansiosas sentem muito mais as emoções que outras. Inclusive, costumam ir em média cinco vezes mais ao médico.

para se ter uma noção da gravidade da doença, a Previdência Social apontou que os transtornos mentais são a terceira razão para afastamentos do trabalho no Brasil. O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) paga a cada ano cerca de R$ 200 milhões em benefícios somente para as vítimas destes distúrbios.

No território brasileiro, são muitos os fatores que contribuem para o número de ansiosos, como desemprego, pobreza, fatores ambientais, genéticos e principalmente o estilo de vida pouco saudável. Nesse caso, vale lembrar que o estresse também está atrelado à ansiedade e à depressão.

Ansiedade também tem a ver com a genética e com educação. Estudos recentes feitos pela Universidade de Turku, na Filândia, revelam que quanto mais os pais são ansiosos, mas os filhos têm chance de sofrer com a doença. Para se ter idéia, 65% das crianças que vivem com pais ansiosos apresentam sintomas de ansiedade. Se o comportamento persistir até a adolescência, terão 20 vezes mais chances de desenvolverem transtornos alimentares, como bulimia e anorexia.

A Universidade de Duke, nos Estados Unidos, apontou que pessoas que têm histórico familiar de depressão, ansiedade e abuso de substâncias químicas podem apresentar quadros de ansiedade.

Além disso, a doença está muito presente na vida de empresários e universitários. Estes dois públicos são mais vulneráveis ao transtorno porque estão envolvidos em situações mais estressantes e inusitadas, por exemplo.

Entrevista com especialista

Ivanildes Magalhães

Psicoterapeuta

Como a ansiedade pode impactar a vida das pessoas?

IM: De muitas maneiras, a começar pelo humor que sofre constantes oscilações. Uma pessoa ansiosa come muito ou come de menos, ou seja, há possibilidade de desencadear um transtorno alimentar. Na verdade, a maioria das pessoas ansiosas tende a descontar as tensões na comida e, por consequência, se tornam obesas. A ansiedade tira o sono, a paz de espírito e a tranquilidade do dia. Geralmente, uma pessoa ansiosa olha o celular a cada dez minutos, isso porque ela está esperando a resposta de uma mensagem simples. Se antes de dormir ela ter uma ideia inusitada, é muito provável que ela tenha insônia por isso. Outro problema é o sentimento de insegurança nas relações sociais e, principalmente, nas relações amorosas. Os parceiros devem ser ainda compreensivos com pessoas que apresentam a doença.

ANSIEDADE vs DEPRESSÃO

O Brasil é o quinto país com mais depressivos no mundo, com 5,8% de vítimas. A doença afeta cerca de 322 milhões de pessoas no globo, segundo a OMS. Esse número aumentou 18% nos últimos dez anos e está crescendo cada vez mais.

No mundo, as mulheres são maioria quando se trata de depressão, com 5,1% de vítimas, enquanto os homens somam 3.6%. Metade das pessoas que sofrem com depressão vivem na Ásia.

A ansiedade e depressão caminham lado a lado, como amigas inseparáveis. Em muitos casos, um único paciente pode sofrer das duas doenças ao mesmo tempo.

Indo mais afundo nesta questão, os especialistas ponderam atitudes severas relacionadas à depressão, como o suicídio, por exemplo.

Cerca de 800 mil pessoas se suicidam a cada ano. As motivações para o ato são muitas, mas os especialistas concordam ao afirmarem que as causas são unânimes: ansiedade, estresse e depressão.

A ansiedade está muito relacionada a obesidade. Algumas pessoas tendem a descontar todas as frustrações na comida. Isso pode ser desastroso a longo prazo. Assista ao vídeo ao lado e saiba o que pode acontecer:

Como identificar o transtorno de ansiedade?

IM: A ansiedade causa medo, insegurança, impaciência, agonia e paralisia emocional e mental, que pode afetar as atividades do dia a dia. Além disso, quem sofre da doença tem dificuldade em se concentrar, sofre com insônia e se preocupa demais com coisas aparentemente simples. São inúmeros os sintomas. Essa é uma emoção normal, principalmente quando enfrentamos algum problema, quando precisamos tomar uma decisão ou quando vamos fazer uma viagem muito especial. O segredo para descobrir se você está sofrendo gravemente de ansiedade é prestar atenção nos detalhes e no que as pessoas ao seu redor falam sobre você. Algumas pessoas não vão à terapia com frequência, mas um boa conversa com algum especialista em saúde mental já pode ajudar a entender se há ou não ansiedade. A pior característica desta doença é que ela trabalha em silêncio, ou seja, muitas pessoas sofrem e não fazem a mínima ideia disso.

 

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG): Esse transtorno ocorre quando a ansiedade persiste por muito tempo e interfere nas atividades do dia a dia. O principal sintoma é preocupação excessiva ou constante apreensão.

Síndrome do Pânico: Este é um transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso. A possibilidade de acontecer os ataques de pânico provoca perda de controle e medo de enlouquecer ou ter um ataque do coração.

Fobia Social: Este distúrbio causa extremo desconforto e pavor em situações sociais, como ambiente novos, festas, apresentações em público, entre outros. O indivíduo sente mal estar, palpitações, suor excessivo, agitação do corpo e medo.

Fobias Específicas:  São medos irracionais e específicos de determinado objeto, animal, atividade ou situação. A fobia não apresenta uma lógica para seu desenvolvimento, geralmente é algo que não apresenta perigo real. Existem alguns tipos mais comuns, como: claustrofobia, aracnofobia, agorafobia (medo de ficar sozinho em lugares públicos), acrofobia (medo de altura), aicmofobia (medo de agulhas), catsaridafobia (medo de barata) e coulrofobia (medo de palhaços).

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): Este é um distúrbio psiquiátrico de ansiedade. O indivíduo apresenta crises recorrentes de pensamentos obsessivos, intrusivos e comportamentos compulsivos e bastante repetitivos, como lavar as mães a cada uma hora, por exemplo.

Transtorno de Estresse Pós-traumático: Esse distúrbio é marcado por vários sintomas físicos, psíquicos e emocionais. Geralmente ocorre quando a pessoa presenciou cenas de violência ou foi vítima de alguma agressão. A lembrança do trauma é o que causa o desequilíbrio mental e neurofisiológico.

Quiz

Você se considera uma pessoa ansiosa?

Quando você vai viajar, como se sente no dia anterior?

Você costuma sentir frio na barriga ou palpitações no coração em situações inéditas?

Você costuma demorar para dormir por causa dos pensamentos noturnos?

Você costuma roer unhas ou balanças muito a perna ou pés?

Você acha que seu trabalho proporciona situações de estresse e ansiedade?

Você está na linha tênue entre os dois extremos da ansiedade. Não é, precisamente, o equilíbrio, mas significa que você consegue controlar as principais situações de estresse e ansiedade da sua vida. Continue apostando no equilibro e canalize suas ansiedades nos esportes ou hobbies. Outra coisa que pode lhe ajudar é a Bíblia. O livro fala sobre grandes acontecimentos que deixam as pessoas ainda mais ansiosas. Saber lidar com isso é importante para ter uma vida mais leve. Saiba Mais.

Calma! Você anda muito ansioso(a). Entenda que você não pode controlar todas as coisas. Aliás, está na hora de procurar ajuda de um especialista, não? Uma terapia, hobbies ou atividades físicas podem lhe ajudar a encontrar o equilibro. Tente desconectar-se um pouco da agitação do dia a dia. Que tal ficar um pouco longe do celular?

Outra coisa que pode lhe ajudar é a Bíblia. O livro fala sobre grandes acontecimentos que deixam as pessoas ainda mais ansiosas. Saber lidar com isso é importante para ter uma vida mais leve. Saiba Mais

Pode cair o mundo e você estará em paz, não é? Parabéns pela calmaria, mas isso também tem um lado ruim, pois às vezes você deixa passar uma impressão de sossego ou desinteresse. Lembre-se sempre que o equilíbrio é lugar perfeito para você estar.  A Bíblia também fala sobre ansiedade. O livro fala sobre grandes acontecimentos que deixam as pessoas ainda mais ansiosas. Saber lidar com isso é importante para ter uma vida mais leve. Saiba Mais

Como encontrar a cura da ansiedade?

IM: Acho que seja difícil curar para sempre a ansiedade pois, como já foi abordado, a ansiedade é uma emoção natural do ser humano. Acredito que seja possível controlar e, assim, conviver com ela de maneira saudável. Agora, para controlar, existem uma série de técnicas, tais como: praticar atividades físicas e esportes; manter hobbies que envolvam arte, música e gastronomia; além da boa e velha terapia e, para casos extremos, remédios indicados por especialistas. O mais importante é a pessoa aprender a controlar suas emoções. Pensar, respirar e tentar encontrar o caminho para a calmaria é uma jornada individual que exige maturidade para entender que não podemos controlar todas as coisas.

Frutas cítricas: a vitamina C, que está presente nas frutas cítricas, diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado pelo corpo em situações de estresse.

Carboidratos saudáveis: os nutrientes deste grupo elevam o nível de açúcar no sangue, dando energia, bem-estar e disposição.

Banana: a fruta é rica em triptofano, que auxilia na produção de serotonina.

Peixes: são uma excelente fonte de triptofano, que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem bastante serotonina. Também contém taurina, que o corpo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade.

Chocolate: é rico em flavonóides, um antioxidante que ajuda na produção de serotonina. Mas não exagere, porque o alimento pode engordar.

Espinafre: contém ácido fólico, que é uma vitamina antidepressiva natural. Quando o organismo tem carência de ácido fólico, também diminui os níveis de serotonina.

Às vezes, parece que o mundo vai acabar, mas não é bem por aí… A mente humana tem uma capacidade enorme de controlar o corpo, mas não pode prever o futuro ou mudar o passado. Entender e aceitar isso é um grande passo para ter uma vida mais leve.

A ansiedade não é uma doença apenas da modernidade. Muitas pessoas têm andado ansiosas, como se estivessem esperando um grande acontecimento. Inclusive, especialistas, livros de autoajuda e a própria Bíblia relatam esse fato. Saiba Mais