'Marvada Pinga'

O consumo de bebidas alcoólicas já matou mais de 3,3 milhões de pessoas no mundo em apenas 12 meses.

Estude na Bíblia:

Princípios de saúde

O consumo de álcool mata mais que HIV, tuberculose, obesidade e atos de violência.

Mesmo assim, cerca de 38% da população mundial continua bebendo álcool quase todos os dias.

Alcoolismo é dependência de álcool. Ou seja, pessoas que sofrem de alcoolismo costumam ter compulsão por bebidas alcoólicas e extrema dificuldade em deixar o vício.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o alcoolismo uma doença psiquiátrica, mas que apresenta consequências fisiológicas sérias no corpo e na mente.

Isto é, um alcoólatra sofre tanto pela dependência, quanto pelos problemas que surgem na saúde a longo prazo.

Segundo a OMS, o Brasil é o terceiro país com mais mortes por causa do álcool. Em 2012, 300 mil pessoas que habitam nas Américas morreram por causa de bebidas alcoólicas. A cirrose foi a principal causa das mortes.

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) lançou um relatório em 2015 com os seguintes números a respeito do consumo alcoólico: 73,9 entre 100 homens morreram por causa do álcool; 11,7 a cada 100 mil mulheres também morreram por causa da bebida.

Nos últimos cinco anos, o consumo de álcool subiu de 4,6% para 13% entre as mulheres e de 17,9% para 29,4% entre os homens. Ainda segundo o relatório, o maior fator de risco entre adolescentes de 15 e 19 anos é o consumo de bebidas alcoólicas, superando o uso de drogas, por exemplo. Em 2010, 14 mil crianças e jovens com menos de 19 anos tiveram suas mortes atribuídas ao consumo do álcool.

Danos no sistema nervoso

O consumo exagerado de álcool provoca danos no sistema nervoso central e periférico. Por isso, o abuso da bebida pode levar uma pessoa à demência e diminui a sensibilidade e a força muscular das pernas.

Danos hepáticos

O fígado é o órgão que mais sofre com os efeitos do álcool. Começa com um simples acúmulo de gordura no fígado, que logo evolui para hepatite e fibrose, por uma tentativa de defesa do fígado. Aos poucos, a doença pode evoluir para uma cirrose, que é a formação de cicatrizes e insuficiência hepática.

Gastrites e úlceras

O álcool leva à erosão das paredes do estômago, desencadeando uma inflamação da mucosa estomacal, provocando a gastrite, assim como úlceras gástricas, feridas que podem se desenvolver no estômago, esôfago ou intestino.

Pancreatite e diabetes

Graças a agressão do álcool no trato digestivo, o pâncreas pode desenvolver uma inflamação. Isso pode destruir o tecido do órgão, assim como as células que produzem insulina. É por isso que muito alcoólatras também são diagnosticados com diabetes.

Síndrome de Wernicke-Korsakoff

O consumo de álcool atrapalha a absorção de alguns nutrientes pelo organismo. Por isso, é comum pessoas que ingerem a bebida desenvolverem a síndrome de Wernicke-Korsakoff. Essa doença é caracterizada pela falta de vitamina B1 (tiamina) e provoca paralisia dos músculos, problema oftalmológicos e distúrbios mentais.

Alterações circulatórias

O álcool altera a circulação sanguínea. Isso faz com que o sujeito desenvolva hipertensão e aumenta o risco de ocorrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Aterosclerose

Como o álcool afeta o funcionamento do fígado, isso prejudica os níveis de colesterol (HDL) bom na corrente sanguínea. O corpo acumula mais colesterol ruim (LDL) nas paredes das artérias, que é chamado de aterosclerose.

Câncer

A bebida também influência no desenvolvimento de câncer, especialmente no aparelho digestivo.

Síndrome do alcoolismo fetal

O consumo de álcool durante a gestação pode causar danos ao feto. Isso faz com que haja malformações congênitas, o que é irreversível em muitos casos.

Morte

A intoxicação aguda e complicações decorrentes do consumo de álcool podem levar à morte. Enquanto o acúmulo acima de 5g de álcool por litro de sangue pode provocar uma parada respiratória, diversas doenças causadas pelo álcool também resultam em óbito.

CIRROSE ALCOÓLICA 

A cirrose não é uma doença provocada exclusivamente pelo consumo de bebidas alcoólicas. No entanto, segundo a OMS, mais da metade das pessoas que desenvolveram a doença é porque abusou de bebidas à base de álcool. A doença ataca o fígado, provocando uma séria inflamação. O órgão fica repleto de cicatrizes provocadas por ferimentos decorrentes do álcool. Neste estágio, a doença pode ser tratada e deixa de evoluir para uma falência geral do fígado. Mas, neste processo de tratamento, o paciente não deve tomar nunca mais uma gota de álcool.

Além da cirrose, o paciente deve ficar atento a outra doença, a esteatose, que é o acúmulo de gordura no fígado. Há também outras doenças relacionadas a cirrose, como obesidade, Hepatite A, B e C, mas a cirrose alcoólica ainda é a mais grave e comum.

Entrevista com especialista

Marli Portugal

Psicóloga e terapeuta familiar

O consumo de álcool pode influenciar no comportamento de uma pessoa?

MP: Existe uma série de estudos recentes e dados divulgados na mídia que apontam o álcool como o principal causador de acidentes de trânsito, agressões familiares e agressões de modo geral. Um estudo recente feito pelo Cebrid apontou que 83% dos agressores domésticos estavam embriagados durante as agressões. Isto é, o álcool, devido a suas substâncias químicas, atrapalha a comunicação dos neurônios. O indivíduo embriagado não tem plena consciência de suas ações. Como consequência, seu comportamento não pode ser medido ou previsto. Ele vai agir conforme seus impulsos. Isso é o que leva o sujeito a tomar decisões erradas, provocar acidentes e agressões.

Blackout

Depois de uma longa bebedeira, as pessoas costumam contar histórias das quais você não se lembra de nada, não é? Isso é a síndrome de blackout, que provoca uma amnésia devido a intoxicação alcoólica. A substância atrapalha a comunicação dos neurônios e o armazenamento de novas informações. Ou seja, seu cérebro para de registrar os momentos seguintes. Perigoso, não?

O alcoolismo, como qualquer doença, possui algumas fases. A primeira delas é a adaptação, quando o indivíduo começa a beber para socializar. Dessa forma, ele começa a gostar gradativamente da bebida.  

Na segunda fase, que é a tolerância, o sistema nervoso central se adapta completamente ao álcool e o sujeito não sente mais os efeitos da bebida. É o típico alcoólatra que não fica embriagado facilmente.

A terceira fase é a dependência completa, seguida da síndrome de abstinência. A pessoa sofre bastante quando fica muito tempo sem beber álcool. Nesse momento, começa a deterioração física, moral e social. Geralmente, a esta altura as pessoas próximas ao alcoólatra tendem a perceber a gravidade do problema.

Afinal, como são os alcoólatras?  Preste atenção nos sinais: 

  • Bebem sozinhos e sem motivos aparentes;
  • Continuam a beber, mesmo que estejam perdendo coisas importantes: família, emprego, entre outros;
  • Perdem o emprego ou ano letivo;
  • Ficam agressivos quando bebem;
  • Não conseguem passar um dia sem beber uma bebida alcoólica;
  • Após começarem a beber, tem dificuldades para parar;
  • Bebem cada vez mais para manter a concentração de álcool no corpo;
  • Podem apresentar paranoia e alucinações;
  • Sempre têm uma desculpa para beber;
  • Se afastam de amigos, família e eventos sociais para beber;
  • Evitam ir em locais onde não podem beber;
  • Tentam esconder o consumo exagerado de álcool;
  • Comem mal ou deixam de comer;
  • Apresentam tremores e sintoma de abstinência quando passam muito tempo sem ingerir bebidas alcoólicas;
  • Perdem a memória.

 

Cerca de 40% dos adolescentes brasileiros experimentaram álcool aos 12 anos, apesar de a bebida ser proibida para menores de 18 anos.

ÁLCOOL vs TRÂNSITO

Todo mundo sabe que direção e álcool não combinam. No entanto, os números de mortes no trânsito mostram que o problema ainda é recorrente. De acordo com o Relatório Global sobre Álcool e Saúde da OMS, 15% das mortes no trânsito foram atribuídas ao álcool em 2012. No Brasil, 18% das vítimas são homens e 5,2, mulheres.

A Lei 13.546 aumenta a pena para o motorista que cometer homicídio ou causar qualquer tipo de lesão ao dirigir alcoolizado. A pena exige reclusão cinco a oito anos, além de algumas sanções.

Agora, se um indivíduo for parado por uma blitz policial e estiver alcoolizado, podem ocorrer algumas complicações. Se o bafômetro (teste indicado para identificar o nível de álcool no sangue) marcar entre 0,05 mg/l e 0,33 mg/l você cometeu uma infração gravíssima. Neste caso, você pode pedir para fazer o teste novamente e se o resultado for o mesmo, você será autuado. O processo a seguir é:

 

  • seu veículo será retido até que você apresente um condutor habilitado que passe no teste. Caso não apresente, o veículo será removido para um depósito credenciado pelo Detran/RS e somente poderá ser retirado pelo proprietário ou procurador devidamente habilitado;
  • você será multado no valor de R$ 2.934,70;
  • sua CNH será retida pelo agente;
  • você deverá retirar sua CNH no órgão que a recolheu após 24h;
  • o Detran/RS vai iniciar um processo de suspensão do direito de dirigir por doze meses;
  • sua CNH deverá ser entregue, quando a suspensão for confirmada, em um Centro de Formação de Condutores (CFC). para começar a contar o prazo de 12 meses;
  • você terá de fazer um curso de reciclagem de 30h/aula no CFC;
  • você vai precisar fazer uma prova teórica;
  • você ficará impedido de dirigir por 12 meses;
  • sua habilitação será restituída após o período de suspensão, conclusão do curso e aprovação na prova teórica de reciclagem.

Melhor não arriscar, não é?

Quiz

Você se considera um alcoólatra?

Você já ficou embriagado(a)?

Você já provocou algum acidente de trânsito (leve ou grave) por conduzir alcoolizado?

Quando você fica muito tempo sem beber, como se sente?

Quando você bebe álcool, costuma ingerir bastante?

Sua família ou amigos pedem para você consumir menos bebidas alcoólicas?

Você sente que a bebida está mudando quem você é?

Você precisa buscar ajuda de um especialista para vencer o alcoolismo. Pode parecer fácil deixar de beber, mas não é. Procure ajuda da família e comece a deixar o álcool. Além dos prejuízos emocionais, você também pode ter muito prejuízos na saúde, como doenças incuráveis. Está na hora de virar a página, não é? Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre alcoolismo? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que podem lhe ajudar. Saiba Mais.

Apesar de você não se considerar um alcoólatra, você ainda consome bastante álcool. Tome cuidado com a quantidade e frequência com que você ingere este tipo de bebida. Procure pensar na sua saúde e na sua família e amigos. O álcool, como na maioria dos casos, costuma tomar conta da vida das pessoas. Quando as vítimas percebem, já foram longe demais. Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre o consumo de álcool? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que podem lhe ajudar. Saiba Mais.

Parabéns! Você não ingere álcool ou pelo menos não com frequência. Compartilhe com seus amigos que bebem este conteúdo. Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre alcoolismo? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que também podem ajudar. Saiba Mais.

O alcoolismo tem cura?

MP: O alcoolismo não tem cura. Este é um fato duro de aceitar. No entanto, o tratamento consiste na regressão dos sintomas e controle emocional, como num processo de cura. Mas é preciso saber que não é uma jornada fácil. Alcoólatras precisam se controlar a vida inteira e, ainda assim, podem a qualquer momento jogar fora um esforço de anos. Por isso, é sempre indicado terapia em grupo (conhecido também como Alcoólicos Anônimos) ou individual. Em alguns casos, a pessoa precisa tomar medicamentos ou procurar clínicas de recuperação. Além disso, é muito importante que o alcoólatra em questão receba todo apoio possível da família e amigos.

O álcool é o principal risco de morte entre jovens e adolescentes. Nos últimos anos, o consumo tem aumentado gradativamente. Neste vídeo, você pode encontrar dicas preciosas de como se livrar do vício.

RESISTIR É PRECISO

 Uma recaída pode não ser o fim da luta contra o alcoolismo, mas pode retroceder  toda evolução do paciente. No período de abstinência, o sujeito pode sofrer de tremores, taquicardia, hipertensão, náuseas e vômitos, suor excessivo, ansiedade, irritabilidade, insônia e aumento da temperatura corporal. Porém, essa fase dura pouco tempo, variando de pessoa para pessoa.

A maioria dos cristãos não consome bebidas alcoólicas devidos às orientações bíblicas. Este princípio está relacionado às mudanças no comportamento de quem costuma beber muito. Há alguns trechos no livro muito claros sobre o assunto. Saiba Mais

Mas também não adianta parar de beber álcool e substituir o vício por refrigerantes ou sucos açucarados. Lembre-se sempre que a água é a melhor aliada da saúde.

O alcoolismo é uma doença séria. Especialistas afirmam que apenas o tratamento médico pode ajudar a vencer este problema. Procure e ofereça ajuda.